“O perdão é uma decisão inteligente, que beneficia principalmente a quem o exerce”, afirma o psicanalista Fernando Vieira Filho, autor do livro “Cure suas Mágoas e Seja Feliz” (Barany Editora). Esse teste, feito com a colaboração do especialista, ajuda a descobrir se você está sendo capaz de desculpar as suas falhas e as dos outros

  1. Um amigo conta, sem querer, um segredo sobre o qual você havia pedido sigilo. O que faz?
    1. Fica se sentindo péssimo por confiar demais nos outros e passa dias remoendo a história
    2. Conversa com ele para colocar tudo em pratos limpos e depois acaba fazendo as pazes
    3. Diz a ele que tudo bem, mas não o procura mais
    4. Corta as relações imediatamente
  2. Um colega de trabalho aponta um erro seu em uma reunião de equipe. Como se sente?
    1. Fica constrangido, mas faz um esforço terrível para não deixar ninguém perceber isso
    2. Não fica magoado, mas procura o colega depois do expediente para um bate-papo
    3. Fica extremamente irritado e promete a si mesmo que vai dar o troco
    4. Perde totalmente a autoconfiança e se cala
  3. No supermercado, você encontra um ex-amor que o fez sofrer há muitos anos. Como age?
    1. Faz questão de passar perto dele e virar a cara
    2. Simplesmente desaparece entre as gôndolas, para não ter de cumprimentá-lo
    3. Sente novamente aquela dor da perda e não consegue disfarçar
    4. Vai cumprimentá-lo normalmente, mas não estica muito o assunto
  4. O par esquece um compromisso importante com você. Como se sente?
    1. Fica irritado na hora, mas logo esquece o ocorrido
    2. Fica fora de si, arma uma briga e só volta atrás se ele mostrar que está arrependido
    3. Triste, sabe que o romance dificilmente terá futuro
    4. Fica chateado, mas não briga. Porém, toda vez que ele se atrasa, relembra o fato
  5.  Em um jantar de família, um primo com quem se desentendeu aparece de surpresa. O que faz?
    1. Tenta manter as aparências, mas fala mal dele pelas costas o tempo todo
    2. Aproveita para pedir desculpas pelo ocorrido, humilhando-se na frente de todos
    3. Vai embora na mesma hora
    4. Trata o familiar como se nada tivesse acontecido, afinal, não quer levar isso adiante
  6.  Um amigo pede dinheiro emprestado e não devolve no prazo acertado. Você o procura?
    1. Sim. Vai exigir que ele pague o que deve, como combinado
    2. Não. Você já sabia desde o princípio que não deveria ter emprestado dinheiro a ele
    3. Sim. Vai perguntar, numa boa, se ele ainda está com dificuldades financeiras
    4. Não. Mas já começa a alertar os outros amigos sobre o calote
  7.  Um colega o procura para pedir desculpas por ter prejudicado você com seu chefe. Como reage?
    1. Ouve o que ele tem a dizer e, dependendo da justificativa, aceita
    2. Na hora, perdoa, mas se recusa a integrar a equipe dele novamente
    3. Aceita e assume sua parcela de culpa no ocorrido
    4. Diz que não tem mais nada para conversar com ele
  8.  Um amigo muito próximo não vai à sua festa de aniversário. O que você faz?
    1. Fica muito triste e tenta se lembrar se, em algum momento, você pisou na bola com ele
    2. Liga para perguntar se aconteceu algo, mas não se abala
    3. Aceita os pedidos de desculpas, mas também não vai à festa dele
    4. Convence-se de que ele realmente não merece o seu apreço
  9.  Em um evento, você encontra um amigo de infância, com quem teve uma rusga. Como reage?
    1. Vai conversar com ele e pergunta como está. Já nem se lembra direito o motivo da briga
    2. Finge que não viu
    3. Dá um sorriso amarelo, mas fica com vontade de ir embora da festa
    4. Fica relembrando todos os detalhes da briga e não tem coragem de falar com ele
  10. Um colega posta uma foto que o compromete e ainda faz questão de marcá-lo. Como se sente?
    1. Extremamente constrangido, pensa que não deveria ter tirado aquela foto
    2. Pede a ele que tire a foto do ar e, a partir daí, começa a evitar contato com o sujeito
    3. Nervoso. Tem certeza de que ele fez de propósito e acaba excluindo o fulano da sua rede
    4. Apreensivo, mas não tira nenhuma conclusão até conseguir falar com ele

Deixe um comentário