Situação é pior na região Leste, onde velocidade do vento pode chegar a 100 km/h

A chuva deve voltar em grande parte do Estado ainda antes do fim de semana. Segundo a Somar Meteorologia, a situação será um pouco pior no leste do Rio Grande do Sul, que deve enfrentar vento forte, com rajadas que podem chegar até 100 km/h no sábado.

— Apesar de chover em todo o Estado, há risco de forte ventania no Leste. Pode ser que alguns transtornos sejam causados pelo mau tempo também — alerta o meteorologista Eduardo Gonçalves.

Nesta quinta-feira (25), um sistema de baixa pressão que está entre a costa do Uruguai e do Rio Grande do Sul proporciona novas instabilidades. A previsão é de que a chuva continue até o fim do dia, mas os volumes não devem ser elevados.

Já na sexta-feira (26), a chuva ganha intensidade, tornando provável as formações de temporais.  Em Porto Alegre, a chuva continua e pode ocorrer a qualquer momento do dia. Além disso, há potencial para alagamentos pontuais. Por conta do tempo fechado, as temperaturas devem ficar baixas.

No sábado (27), o tempo volta a ficar firme na maioria das regiões do Estado, mas ainda com chuva  em parte do litoral gaúcho . Há risco de vento forte em todo o RS, sobretudo no litoral, onde as rajadas devem atingir 100 km/h durante a madrugada e a manhã de sábado. A Região Metropolitana também pode sofrer alguns transtornos. Já a temperatura só deve voltar a subir na metade da próxima semana.

Em Santa Catarina, meteorologistas da Epagri/Ciram emitiram um alerta para formação de um ciclone extratropical entre a noite de sexta-feira (26) e a manhã de domingo (28) na região Sul de Santa Catarina. Esses sistemas podem ocasionar vento forte e condições adversas de mar, dependendo de sua intensidade ou proximidade da costa.

Até o momento, conforme a previsão de localização e intensidade do ciclone, durante o final de semana pode ocorrer vento forte, com rajadas de 60 km/h a 80 km/h no litoral e no planalto sul catarinense.

 No mar, em áreas mais afastadas da costa, as rajadas podem chegar a 100 km/h. O ciclone também favorece a condição de mar agitado e risco de ressaca no final de semana, especialmente no Litoral Sul de SC.

De acordo com o meteorologista Marcelo Martins, da Epagri/Ciram, o fenômeno é comum nesta época do ano e não representa grandes riscos.

*Com informações do jornal Hora de Santa Catarina

Deixe um comentário