Juvir Costella assumiu a pasta nesta quinta-feira

“Se precisar vender, nós vamos vender. É a busca pelo melhor para o Estado”, disse o novo secretário dos Transportes, Juvir Costella, sobre a Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) durante o ato de transmissão de cargo, que ocorreu na manhã desta quinta. Na solenidade, realizada no Centro Administrativo Fernando Ferrari, o secretário Humberto Canuso passou a titularidade da pasta a Costella, enfatizando que foi possível “chegar aqui de cabeça erguida”. “Achamos que cumprimos nosso dever graças à equipe”, disse, lembrando que o orgulho da gestão é a RS 118.

Costella agradeceu à bancada do MDB pela indicação para ocupar “uma pasta de tamanha responsabilidade”. “O meu compromisso é com o estado do Rio Grande do Sul. Direciono ao governador Eduardo Leite minha lealdade, transparência, entusiasmo, otimismo e a minha indignação, porque eu quero resultados. As dificuldades estão sobre a mesa para que possamos, através da equipe, buscar parcerias, aqueles que querem contribuir com o Estado, seja privado ou público. Queremos atender a ponta, a sociedade e estaremos dando continuidade ao que foi feito, quem sabe de uma forma diferente”, destacou Costella em seu discurso de posse.

Conforme ele, não vivemos uma era de mudança, mas uma mudança de era. “Adoro desafios, mas eu os enfrento. Sabemos que temos dificuldades, mas trabalharemos em conjunto. Tenho mais de 42 anos de vida pública e quero que a minha experiência seja transformada em trabalho. Estamos engajados com a luz e o foco em apenas um ponto: a sociedade gaúcha. Quero ser lembrado por ter feito a minha parte e a partir de hoje teremos muito trabalho”, ressaltou.

Costella ainda assinalou que a partir de agora fará um diagnóstico do custeio da pasta “para saber onde poderemos cortar gastos, desde o café até o veículo e os cargos comissionados. Precisamos de um quadro enxuto, mas que traga resultado. Temos que buscar o equilíbrio”, declarou. Sobre a concessão de rodovias estaduais, Costella lembrou que a KPMG deve concluir até o final de fevereiro um relatório completo sobre o diagnóstico das estradas do Estado.

“Por intermédio do governador Eduardo Leite, o nosso compromisso e projeto é fazer parcerias e buscar, certamente, concessões em algumas das rodovias. E nós vamos fazer exatamente a determinação do governo”, disse. Após o diagnóstico, segundo Costella, o governo terá um parâmetro para definir em quais regiões é preciso buscar concessões. Costella reiterou que a EGR desempenha um papel fundamental, assim como o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), mas que as funções dos dois órgãos são semelhantes.

“Se tivermos que fazer a concessão, a privatização e a venda da EGR, nós vamos fazer. A discussão será feita com a sociedade gaúcha. Buscamos exatamente isso: de que forma vamos realizar a gestão do estado do Rio Grande do Sul buscando sempre a sociedade, é essa que nós temos que atender. Se a EGR terá que continuar, nós vamos continuar, mas essa é uma discussão que não é apenas do secretário, é um conjunto de governo que vai tomar certamente a decisão, sempre dito que quem define é o governador, mas essa discussão nós faremos com a equipe técnica do governo e com o governador”, pontuou.

Foto: Guilherme Testa

Deixe um comentário